23 de abril de 2014

Meus Mestres

Eis que você está no fundo do poço e não sabe por onde começar...

Meu salário está comprometido com 4 créditos consignados, os encargos de obras do meu apartamento comprado na planta e na inocência, as taxas de serviço público do mesmo, a conta de 4 cartões de crédito (3 eu já cancelei, mantendo apenas 1) e 1 de loja (penso em cancelar na próxima vez que passar na porta da loja), meu plano de saúde, 3 créditos automáticos que peguei pra conseguir fechar o mês no passado e internet.
De cerca de 2,3 mil de renda, gastava por volta de 4 mil reais, antes de começar a acompanhar de perto a minha vida financeira... Quando tomei essa iniciativa, percebe-se, caí pra trás!! Fiquei com vergonha de mim mesma e decidi, então, mudar.
Meu último gasto antes dessa iniciativa de controlar as finanças foi a compra de um tablet caro, que substituiria um outro, da marca concorrente, que comprei há menos de um ano. Uma semana após mexer no aparelho, vi o quanto fui burra e esse gasto foi desnecessário... mas era tarde...
Coloquei minha renda e os débitos em uma planilha e percebi que havia um descontrole frenético... a partir daí, minha vida mudou!!
Comecei a ler e buscar referências, daí conheci a comunidade Mude.nu, devorando o que eles tinhas já escrito sobre produtividade, independência financeira e minimalismo. Percebi que teria de dizer adeus àquela vida e passar a agir de outra maneira, para não falir.

Comprei um livro, que, para mim, foi fundamental e veio numa excelente hora: Dívida Boa, Dívida Ruim, do Jon Hanson. A partir de todas as informações conseguidas, montei meu plano de ação e comecei a agir.
O primeiro passo foi me livrar do apartamento: comprei num momento de euforia, fui enganada de todas as maneiras pelos corretores e gerentes e estou pagando o pato. Aquele que era para ser meu lar, doce lar virou meu pior pesadelo e rápido!!! Foi tão broxante todo esse processo que eu perdi a vontade de morar no empreendimento, tomando nojo da área, inclusive.

Anunciei e em 3 dias já havia conseguido umas 13 pessoas interessadas, mas também, pudera: joguei o valor dele no buraco, pois só queria me livrar o mais rápido possível, ressarcindo apenas o que já gastei, sem lucrar nada com isso. O valor foi uns 30% do valor que o mercado estava cobrando. A venda já está acertada para quando as chaves forem entregues. Enquanto isso, sigo estudando para dar a melhor destinação possível ao dinheiro recebido.
Esse dinheiro melhorará muito minha saúde (que saúde?) financeira e, após conseguir quitar as dívidas mais caras e os créditos consignados, hei de iniciar meus planos de poupar, investir e enriquecer, de forma que essa história seja um capítulo já ultrapassado da minha história.
Abaixo, listo os sites, blogs e livros que ando lendo afim de mudar as configurações da minha vida financeira. Acredito que, sem eles, eu nada seria.

Um beijinho

Sites:
Valores Reais
Mude
Além da poupança
Dinheirama
Quero ficar rico

Livros:
Dívida Boa, Dívida Ruim - Jon Hanson
Dinheiro: Os Segredos de Quem Tem - Gustavo Cerbasi
Os Segredos da Mente Milionária - T. Harv Eker

41 comentários:

  1. Conselho: Expulse esses demônios chamados dívida da sua vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os fracassos são parte do processo do sucesso.
      As pessoas que evitam os fracassos também evitam os sucessos.
      Robert Kiyosaki

      Pode ter certeza de que eliminarei, meu amigo!!! Lendo, aprendo e, assim, exorcizarei a pessoa pobre que há em mim :)

      Excluir
    2. Quem evita o fracasso busca o sucesso.
      Tudo é questão de planejamento e gestão de risco.

      Essa estória que não se deve evitar fracassos ou que se deve correr altos riscos para altos retornos é balela. Busque um alto retorno com baixo risco.
      Por exemplo, sabendo que a 30% do preço que o mercado estava cobrando choveu gente procurando comprar o apartamento, você deveria ter voltado atrás e cobrar 70% do preço de mercado.

      Excluir
    3. As pessoas me procuravam para fechar negocio. Não havia como voltar atrás... Aliás, até dava, mas acho que ter palavra é importante em transações assim.
      Eu não gostaria de fechar negocio com alguém que, de uma hora pra outra, mudasse o valor do apartamento ou carro

      Excluir
    4. Até que me arrependo de ter vendido tão barato, mas é que o que eu preciso, tão-somente e pra ontem, é recuperar o prejuízo que tive.

      O valor do prejuízo já me colocará numa posição mais confortável (por exemplo, vou quitar os créditos consignados e, assim, receberei bem mais dinheiro).

      Também tem aquilo: quando a CEF for repassar o financiamento, o engenheiro deles vai lá. Se, ao invés de 120 mil, estiver valendo 160, eu ganharei a diferença, então é por isso que também não estou triste com essa transação.

      Obrigada por me apresentar seu ponto de vista e por me visitar :)

      Excluir
    5. A questão é oferta x demanda. Se em três dias você recebeu treze propostas, seria interessante você reavaliar. Faltou feeling.
      Mas não se preocupe, com a sua saída da corrida de ratos, em pouco tempo você conseguirá perceber algumas situações onde você não deve agir tão impulsivamente.

      Falando um pouco por mim. Eu realmente sou muito frio (e chato) para comprar e vender coisas, raramente fecho negócio "de primeira".
      Sempre peço para "pensar na proposta" (lê-se calcular) e dar a resposta no dia seguinte, afinal de contas o negócio vai ser proveitoso para ambas as partes.

      Claro, eventualmente você desperdiça oportunidades únicas, mas quando alinha-se à gestão de risco, você consegue um retorno interessante com um risco diminuto.

      Excluir
    6. Apenas complementando, deixo para leitura e reflexão uma parábola do Benjamin Graham sobre o Sr. Mercado:

      Pense do senhor mesmo como possuidor uma parte em um negócio através de uma sociedade com outros. Um de seus sócios, o Sr. Mercado, é um tanto quanto neurótico, que em todo o dia se oferece para comprar sua parte ou vender a dele por um preço específico. Seu humor pode flutuar em qualquer lugar entre o otimismo incrível e a depressão opressiva. Um dia definirá um preço mais elevado para comprar ou vender, no dia seguinte ele pode poderá aumentar a oferta, abaixar a oferta ou até mesmo parecer desinteressado na compra ou na venda.
      O ponto que Graham faz a esse julgamento do Sr. Mercado se dá mais pelas mudanças de humor do que de um modo de pensamento racional e que isto dá ao acionista sábio que compra e que vende OPORTUNIDADES.
      Se o preço do Sr. Mercado é injustificavelmente alto, a seguir os acionistas sábios têm a oportunidade de vender. Por outro lado, se é injustificavelmente baixo, a seguir eles têm a oportunidade de comprar.
      A coisa importante é que um acionista bem sucedido e cuidadoso faz a sua própria decisão baseada em suas próprias idéias do valor do investimento.

      Excluir
    7. Eu estou aprendendo na carne as dores e acertos dessas paradas... Hoje já sei mais que ontem e ontem eu sabia mais que anteontem... os passos estão sendo dados, já estou estudando sobre o assunto e a cada dia minhas idéias amadurecem bastante :)

      Obrigada pelas dicas. Serão levadas em consideração :)

      Excluir
  2. MF,

    Seja muito bem vinda a blogosfera financeira! Fico feliz em ver que uma mulher, que convenhamos, cujo 99% só pensa em gastar, gastar e gastar, está preocupada com suas finanças, e melhor, buscando a independência financeira. Acompanhe os blogs dos colegas e sinta-se à vontade para interagir com todos.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprendi com um colega de trabalho uma vez que o melhor investimento que podemos fazer na vida é em nós mesmos. Ele gastava/investia grande parte (uns 80%) do salário dele em livros, cursos e material para passar num concurso.

      Hoje ele é fiscal de rendas e eu só uma PCCTAE nível D. Se tivesse aprendido com ele naquela época, muita coisa teria sido diferente, mas antes tarde que mais tarde ;)

      Eu já não ando gastando tanto desde que recomecei a estudar para concursos e porque não tenho mais aquela sina de comprar... tenho lido sobre minimalismo desde dezembro e tenho me identificado e gostado bastante :D

      Hoje o plano é outro - vou escrever um post sobre isso - e o que mais quero é ter independência financeira.

      Muito provavelmente eu não deixe o serviço público, mas com certeza a vontade de trabalhar terá mais a ver com a realização pessoal em relação ao serviço que o salário em si :)

      Vou adicionar o seu blog na minha lista :D

      Excluir
    2. A melhor coisa da vida é a liberdade. E a liberdade só vem com o dinheiro. Esse é o X da questão.

      Adiciona sim, depois eu te coloco no meu.

      Abraços!

      Excluir
  3. Os livros que mais gostei: Pai Rico Pai Pobre e o Homem Mais Rico da Babilonia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou terminando de ler Pai Rico Pai Pobre e estou de cabelo em pé!!!! Quanta genialidade!!!! Fiquei louca!!! Deveríamos ser obrigados a ler e internalizar isso :D

      É um livro excelente!!! Já questionei muito do que andava pensando antes de lê-lo :)

      O Homem mais rico da Babilônia está na fila :)

      Excluir
  4. Maria Bufunfa, tomará que sua bufunfa aumente exponencialmente e suas dívidas sejam eliminadas!
    Vou mostrar seu blog para minha esposa.

    Não sei se eu que sou muito preguiçoso, mas a largura do frame que comporta suas postagens está grande, ao menos no meu caso dificultou a leitura, parece que a linha não termina nunca...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obaaaaa!!! Que os juros compostos - depois que eu quitar as dívidas - nos abençoem, hehehe.
      Mostra o blog pra ela :)

      Desculpa!!! É que meu monitor é Widescreen e eu estava achando muito cheio de margens, hehehe. Vou mudar o leiaute nesse fds, então :)

      Excluir
    2. Legal, ficou melhor para fazer a leitura.
      Já mostrei o blog para minha esposa, mas não consegui sensibilizar ela ainda, mas estou seguindo aquele ditado: 'Devagar e sempre'.

      Excluir
    3. Água mole em pedra dura... Um dia ela vai perceber que esse é o caminho da prosperidade :)

      Excluir
  5. MB

    Eu sei como e estar no buraco. Li que comprastes um ap e o vendeu a custo. Naturalmente que nao sei os valores envolvidos e os prazos, porem prtgunto-lhe se nao poderia ter lucrado algo com isso, principalmente por conta da escalada mensal dos precos dos imóveis. Acho que mesmo no pior temos que procurar alguma solucao equilibrada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até poderia, Lusitano, mas também poderia acabar entrando naquela matrix do Mercado Livre: quem põe o preço que quer, brinca de vender.

      Comprei por uns cem mil e botei 20% em cima disso após mais ou menos 2 anos da assinatura do contrato. Procurei por imóveis no mesmo condomínio e vi que, os que puseram até 50% do valor, conseguiram vender e ninguém estava mais praticando esse valor. Tinha muito apartamento encalhado há meses por 180 mil, 80% a mais -> a matrix do ML.

      Encontro-me num estado de muito desespero, por isso vendi rápido. Acredita que teve gente pedindo pra eu cobrar uns 90 mil, arcando com 10 mil do valor de contrato de prejuízo? Além do apartamento, vieram infinitas taxas, que, somadas, me tiraram mensalmente o equivalente a 1500 reais... Só prejuízo :(

      Escreverei no próximo post sobre meu império negativo e o que tenho elaborado de estratégia.

      Obrigada por vir e comentar :)

      Excluir
  6. Te adicionei no meu blog, ok? Seja muito bemvinda!

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ebaaaaaaaa! Adicionei seu blog também :)
      Aos poucos, vou lendo e incorporado os ensinamentos dos bufunfeiros da blogosfera para poder sair dessa corrida dos ratos

      Excluir
  7. Triste sua história, mas é assim que se aprende. Quando for comprar meu AP espero comprar de alguém desesperado para vender, rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comprei para morar próximo do namorado. Comprei assim que começamos a namorar, uns 2 meses depois. Hoje, estou sem namorado, mas a dívida ta lá pra me fazer companhia, ahahaha. E o maldito AP só ficará pronto no meio do ano :(

      Excluir
    2. Melhor arrumar um namorado que já tem AP próprio e casar com ele, rs.

      Excluir
    3. Tudo o que quero hoje é morar próxima do lugar em que eu for trabalhar - Centro (prioritariamente) ou Zona Sul do Rio. Quero chegar no trabalho em 5 minutos a pé. Levantar 1h antes da hora de entrar no serviço, essas coisas... Nada paga o tempo de vida economizado no trajeto casa-trabalho-casa... O ex preferia espaço para guardar as tranqueiras e ter carro pra (tentar) se locomover, eu prefiro morar num cubículo e aproveitar as 3h de vida economizadas durante a semana para curtir a vida, fazer um curso bacana, andar na praia, essas coisas.

      Como não farei isso tão cedo, haja vista que começarei a segunda graduação agora, vou ficando na casa de papai, ajudando-o com a internet-tv-telefone e, ano que vem, com a conta de luz.

      Excluir
  8. Muito abrigado pela referência, Maria Bufunfa. Primeiro passo é livrar-se destas dívidas. Você conseguirá até dormir melhor depois disso.
    Abraços e bem vindo a blogosfera.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AP, obrigada você por inspirar a mim e a tantos outros internet afora :)

      Excluir
    2. Cuidado com estas informações que você posta pois tem muita gente de olho. Já falou que é PCCTAE e que é do RJ. Estas informações não são relevantes e te comprometem.
      Abraços

      Excluir
    3. Vou tomar mais cuidado. Realmente é importante manter a discrição ^^

      Obrigada pela dica :)

      Excluir
  9. Bem vinda Maria! Vida longa ao blog!

    Drink coke!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita :D

      Vida longa aos blog :)

      Excluir
  10. Olá Mb,
    Faço das minhas palavras as mesmas do amigo DC.
    Eu sei bem o que é estar no vermelho.
    Em um dos meus primeiros posts eu falo sobre minha queda mas graças a Deus eu sai do vermelho e to melhorando a cada mês. E com vc não será diferente.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro passo é a tomada de consciência. Eu acho que esse é o passo mais difícil. Depois, com muito jeitinho, tudo se acerta e dá certo :)

      Estamos prosperando :)

      Excluir
  11. Bem-vinda!

    Sei bem como você se sente. Também comprei um apartamento meio na pressa. Mas no meu caso, consegui um preço razoável e um financiamento com juros muito baixos, tanto que o valor mensal que pago pelo financiamento é muito mais barato que qualquer aluguel que eu já ouvi aqui no RJ. De fato, até mais barato que em algumas favelas! rs
    Em relação aos gastos desenfreados, também passei por esta situação, de fato estou começando a frear estes gastos este ano. Também ando lendo sobre organização pessoal, e reduzindo meu estilo de vida ao máximo. Porém, como tenho filhos, algumas coisas são mais complicadas de se desfazer ou mudar.
    Vou ler sempre seu blog a partir daqui para acompanhar sua reviravolta e incentivar como puder!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que bela jogada você fez, então :D

      O lado bom de ter filhos é que você poderá ensiná-los desde cedo que tão importante quanto passar de ano em matemática é saber o valor do dinheiro, suas limitações e que nada na vida vem de mão beijada, ehehe. Envolva-os nesse processo aos poucos ;)

      Nada como um bom exemplo... quem me dera se meu papi fosse assim, eheheh.

      Obrigada pela visita e seja muito bem-vindo

      Excluir
  12. Olá, Maria, parabéns pelo blog, bastante completo e que traz as experiências pessoais com as finanças, bem como a vontade de superar os problemas, o que é de grande valia!

    Muito obrigado pela citação do Valores Reais!

    Sucesso na sua jornada!

    Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. genteeeeeeeeeee!!! O Guilherme deixou um comentário!!! Fiquei muito feliz agora :D

      Muitíssimo obrigada pela visita :)

      Excluir
  13. Maria Bufunfa,

    Parabéns pela nova postura e por ter acordado para a realidade. O seu depoimento retrata a realidade de milhões de brasileiros, escravos de contas, que usam o consumo como válvula de escape para a angústia do dia-a-dia.

    Tudo indica que você está no caminho certo: Calculou seu orçamento, viu que a receita não batia com as despesas, ajustou os gastos, está se livrando das dívidas. É por aí mesmo!

    A palavra chave é "paciência". A mudança começa aos poucos: Ajustamos os gastos, depois quitamos as dívidas, depois fazemos uma reserva de segurança (algo entre 6 meses e um ano de contas pagas) e então começamos a investir parte da renda no acúmulo de patrimônio.

    Dito isso, permita-me fazer uma observação.
    Deu pra perceber que você é uma pessoa impulsiva. Comprou um imóvel por impulso, comprou bens de consumos por impulso e vendeu o imóvel com um deságio enorme (segundo seu relato) por impulso!

    Minha dica é: Controle seus impulsos! rsrs. Emoção é algo que não combina com planejamento e execução de um plano para o futuro. Tente ser calculista. Sempre que sentir que a emoção quer falar mais alto, pare, respire e se afaste.

    Creio que só terá a ganhar assim.
    De resto, desejo muito sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Tarilonte. Foi por isso que comecei uma terapia: para tentar frear esses impulsos!!! Eles não me bagunçaram a vida financeira somente... estava ficando impulsiva em tudo, de comer compulsivamente a agir de forma impensada com pessoas que amava...

      Meu gênio era difícil, mas com o tempo irei chegar no equilíbrio :)

      Obrigada pela visita

      Excluir
  14. oi maria.

    Encontrei alguem como eu nessa blogosfera. só via gente com milhoes investidos.. e apenas eu lascado na emenda! kkkk

    mas é isso ai... o importante é aprender com os erros.

    no meu blog eu escrevo os meus. sucesso para nós.

    abração.

    ResponderExcluir

Pense antes no que vai escrever, para não magoar meu coraçãozinho. Anônimos, deixem ao menos um nome. Se começarem a bagunçar muito, vou restingi-los, para preservar minha sanidade.